terça-feira, 26 de junho de 2012

Subjugo meu corpo: uma reflexão de I Co 9.27

Antes subjugo o meu corpo, e o reduzo à servidão, para que, pregando aos outros, eu mesmo não venha de alguma maneira a ficar reprovado" - I Co 9.27


No capítulo 9 de I Coríntios Paulo está se defendendo. Neste capítulo ele apresenta seus argumentos contra aqueles que, na igreja de Corinto, não o consideravam um apóstolo legítimo. Sua defesa gira em torno de seu procedimento entre os irmãos, principalmente no que diz respeito à sua vida financeira. (Parece que este tema já alterava ânimos desde aquela época...)
O versículo 27 é a última sentença de sua defesa neste capítulo. Neste versículo Paulo deixa transparecer uma de suas maiores preocupações: que sua pregação "batesse" com o que ele vivia, ou seja, que a sua vida particular fosse condizente com seu discurso público.
Sempre é possível alcançar certo grau de credibilidade em um grupo religioso sem necessariamente viver de acordo com o que se prega neste grupo. Trocando em miúdos: é possível falar de honestidade e ser desonesto. É possível incentivar uma vida de oração sem nunca colocar os joelhos no chão. É possível promover um momento comunitário de adoração a Deus estando com o coração distante do caminho do louvor.... Enfim, exemplos não faltam...
Paulo reconhece que tentar colocar o que se prega e o que se vive em uma mesma linha pode ser uma tarefa extremamente difícil. Aliás, tal necessidade só pode ser alcançada por intermédio da disciplina pessoal: nos versículos anteriores, Paulo se compara a um atleta que, para alcançar seu objetivo, "de tudo se abstém". Já no  versículo que destacamos, o apóstolo vai mais longe e confessa que para viver de acordo com o que pregava, ele se sentia como alguém que reduzia o próprio corpo à escravidão, como alguém que esmurra o próprio corpo.
Alcançar credibilidade pode não causar nenhuma dor, mas dominar a si próprio causa! Mostrar aos outros suas habilidades religiosas adquiridas por hábito não causa grandes embaraços, mas provar a si mesmo que as demonstrações religiosas estão de acordo com a essência do que está dentro do coração, pode ser um processo árduo e trabalhoso... Eis a dificuldade de Paulo, e por que não dizer nossa própria dificuldade em todo o percurso da vida cristã...

8 comentários:

  1. Perfeito,adorei o que li e a mais pura verdade!

    ResponderExcluir
  2. o problema maior não esta em viver o que se prega ,mas sim e pregar o que se vive ....

    ResponderExcluir
  3. Tem razão Edilene. Obrigado pela visita!

    ResponderExcluir
  4. deu um clareada, para eu começar um estudo nesse versiculo, ja adquiri muito conhecimento apenas com o começo da mensagem. valeu.a paz do senhor.

    ResponderExcluir
  5. que bom vê essas coisas no Google, Deus abençoe você.

    ResponderExcluir
  6. que bom vê essas coisas no Google, Deus abençoe você.

    ResponderExcluir